Pular para o conteúdo principal

BRASÍLIA CONTINUA UM CAOS

Na próxima semana Brasília vai passar por mais uma prova do quanto o poder público trata com descaso o dinheiro da nação. Veremos, também, como o Partido dos Trabalhadores não toma nenhuma atitude para dirimir e corrigir as mazelas dos governos anteriores. Não propõe nem recebe aqueles que o elegeu. Vão pipocar greves.

METROVIÁRIOS;
foto: www.correiobraziliense.com.br
VIGILANTES AMBIENTAIS;
PROFESSORES;
AGENTES PENITENCIÁRIOS;
PROFESSORES UNIVERSITÁRIOS -UNB
POLICIA CÍVIL.

PORQUE NÃO TEM DINHEIRO PARA PAGAR O REAJUSTE DOS METROVIÁRIOS
nem dos professores, nem de outra categoria qualquer? Porque nunca tiveram. O servidores da PCDF, ou de qualquer outro organismo público ganha o que ganha porque conquistaram com luta e muito trabalho, suas remunerações não "caiu do céu". Quanto de investimento se faz para um jovem passar em concurso público? Ora se esconder na LRF(Lei de responsabilidade Fiscal) para criar uma "cortina de fumaça" não deve ser muito honroso, mas é o instrumento que se apegam para justificar o injustificável. A questão é: Será que esses gestores públicos não sabem que os trabalhadores além de eleitores são leitores e sabem dos seus direitos, estão menosprezando suas inteligências. O governo que se apresentou pelo voto legítimo, mas que beira a medícridade não pode esnobar tantas categorias. O respeito é pertinente e é sabido que o governador não tem feito esforços para tratar desse assunto.
Brasília vem passando por uma "tsunami" de corrupção e muitos são os envolvidos. Hoje não se tem confiança em quase nenhuma instituição pública. Seria oportuno uma pesquisa para verificar qual o segmento que podemos creditar nossos votos em quem confiar.

Já o Metrô do DF afirmou, em nota, que desconhece as irregularidades apontadas e que “a licitação foi acompanhada em todas as suas etapas pelos órgãos de controle externo, em especial o Tribunal de Contas do Distrito Federal”. Veja a íntegra da nota:

O Metrô-DF desconhece as supostas irregularidades apontadas anonimamente pela reportagem do Portal R7 e, ressalta que:

- O processo de licitação para a manutenção do Metrô-DF (transcorrido em gestão anterior), seguiu a modalidade de licitação de concorrência pública tipo técnica e preço, sendo que no primeiro aspecto as duas empresas finalistas receberam a pontuação máxima;

- No quesito preço, o consórcio Metroman apresentou a melhor proposta (menor preço), vencendo então a licitação;

- A licitação foi acompanhada em todas as suas etapas pelos órgãos de controle externo, em especial o Tribunal de Contas do Distrito Federal;

- O consórcio Metroman vem atendendo satisfatoriamente todas as demandas de manutenção apresentadas pelo Metrô-DF.

Coordenação de Comunicação do Metrô-DF

Tudo muito coerente e correto só faltam dizer que é a população a responsável pelos trens quebrados ou que não tratameste como deveria tratar. Depois de tanta suspeita é no mínimo curioso o que tem acontecido na capital de JK . Observe que Brasília não tem indústria, é alimentada por um comércio que ainda tem muito para crescer que por sua vez necessita orgânicamente dos servidores públicos para incrementar vendas. O serviço público é o grande empregador. E esses "empregados" são os formadores de opinião da sociedade brasiliense. Negociar com esses formadores de opinião passa por respeito e absorção dos seus interesses.


2 comentários

Postagens mais visitadas deste blog

TAGUATINGA ESTÁ COM 12OO VAGAS EM SEIS CURSOS

Com o objetivo de apoiar o trabalho de lideranças comunitárias, a Administração Regional de Taguatinga, tem o programa Escola da Comunidade, um espaço voltado para a promoção de cursos e palestras para zeladores, porteiros, síndicos, prefeitos comunitários e membros de associações de moradores. A Escola da Comunidade está com inscrições abertas para cursos de formação em cursos de formação de prefeito comunitário, síndico profissional, direito condominial, engenharia condominial, agente de portaria e primeiros socorros.


Andréa Serra, uma ex-aluna do curso de formação para síndicos, aprovou a iniciativa da escola e hoje usa o que aprendeu na gestão de seu condomínio. “Com as palestras de direito e dos engenheiros pude saber mais sobre legislação e engenharia, o que eu estou aplicando em meu condomínio”. O administrador de Taguatinga, Ricardo Lustosa Jacobina afirma que a iniciativa é um programa de sucesso da administração de Taguatinga. “A Escola da Comunidade é uma conquista de toda a p…

CONCURSO PARA CÃMARA LEGISLATIVA TERÁ 100 MIL CANDIDATOS

O tão esperado edital de abertura do concurso da Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF) deverá ser lançado até o mês de agosto. A informação foi divulgada pela própria Casa, que assinou o contrato com a Fundação Carlos Chagas (FCC) na última sexta-feira (7/7). Mas a espera pela distribuição das vagas nos cargos não é mais necessária. Veja abaixo para quais áreas serão destinadas as 86 oportunidades: divididas entre os cargos de técnico, consultor técnico, consultor e procurador.
O presidente da Câmara, deputado Joe Valle (PDT), espera que o concurso selecione os candidatos mais interessados em fazer carreira na casa, que tem atualmente o salário inicial de nível médio em R$ 10.143,07 e de nível superior em R$ 15.123,30. Segundo ele, a expectativa é de mais de 100 mil candidatos inscritos. Leia também:Mais de 15 mil vagas serão abertas no país até dezembro De acordo com a Casa, não haverá gastos para a realização do certame, pois a seleção será totalmente custeada pelos valores …

O SERVIDOR QUE ESPERA AUMENTO EM OUTUBRO "PODE TIRAR O CAVALINHO DACHUVA"

Escrevo este post com a profunda vontade de estar errado, todavia não sou tão otimista assim. A categoria funcional vinculada ao Governo Do Distrito Federal deverá ter uma visão de águia e planejar qualitativamente suas finanças nos próximos meses. Todos nós temos uma tendência em contar com o "ovo dentro da galinha" e realizar despesas ou pagar dívidas com créditos a receber.
O GDF tem se lastreado e se calçado por uma única linha de defesa e planejamento de governança, a Lei de Responsabilidade Fiscal. Não há outra ação propositiva concreta de desenvolvimento econômico para a capital. A "muleta" utilizada só é esquecida quando o governo anterior, o de Agnelo, se sobre põe ao atual na ingerência econômica social.
Vivemos uma crise, nisso não há novidade. Vivemos uma caos não há novidade alguma nisso. A novidade é na desculpa utilizada para justificar ações sem prumo. Falar que arrecadação não tem suprido as expectativas já não justifica o intenso e sistemático discu…