Pular para o conteúdo principal

11 de setembro





A economia se superou 


As incertezas tomavam conta do mundo a exatos 10 anos. Veja aqui pela fonte infomoney qual a conjuntura e as decisões "de guerra" que foram tomas naqueles dias inesquecíveis e que ficaram marcados como novo início do milênio. Eu mesmo me encontrava em casa assitindo TV e passei a ligar pra meus familiares estarrecido com o que eu via na telinha. 
Boatos surgiam a todo instante, estoques de suprimentos começaram a ser feitos nas casas e calafrios eram sentidos a cada aeronave que sobrevoava Nova York.
Para preservar as bolsas, os trabalhos em Wall Street ficaram suspenso durante uma semana, com bolsa de Nova York voltando a ser aberta apenas na segunda-feira subsequente, no dia 17 de setembro.
Fed fez a diferença
Em resposta ao risco de liquidez provocado pelo pânico, o Federal Reserve injetou cerca de US$ 85 bilhões por meio de diversos instrumentos financeiros nos dias posteriores ao atentado, além de crédito para países e empresas europeias e canadense. Para completar, o Fed ainda reduziu a taxa básica de juros em um ritmo superior ao que vinha sendo registrado na época como forma de evitar qualquer quebra por problemas de falta de liquidez no mercado.
Quando as bolsas norte-americanas reabriram, o pânico já estava marginalmente contido, o que limitou as perdas a níveis menos agressivos e permitiram uma recuperação mais rápida. Para ilustrar, o S&P-500 recuou 11,6% nos primeiros cinco pregões pós-atentado, porém, no dia 11 de outubro o índice já havia recuperado a pontuação registrada no fechamento de 10 de setembro.
Resposta imediata
Não há uma razão clara nem estudos que consigam precisar quais os motivos da melhora rápida do ânimo de todos os agentes econômicos, embora muitos acreditem que a resposta rápida e enérgica de Alan Greenspan, então presidente do Fed, foi indispensável.
Conforme já mencionado, o Fed evitou qualquer risco de liquidez não só nos EUA como também na Europa, afastando na esteira o risco de contágio de um eventual problema no velho mundo. Como? A instituição relaxou regras para o mercado de ações, reduziu as exigências para o setor bancário, que puderam reduzir seus níveis de reserva e conceder empréstimos e rolar dívidas de clientes em dificuldades.
Flexibilização de regras
Para evitar maiores efeitos sobre o mercado de ações, empresas foram autorizadas a quebrar o limite legal para recompra de ações, e assim segurar a cotação dos papéis em queda.
Além do Fed, o tesouro norte-americano teve um papel fundamental na defesa do setor financeiro, porém com influência maior na sustentação da recuperação frente ao ataque. Nos 12 meses seguintes aos atentados, o tesouro desembolsou cerca de US$ 110 bilhões em ajuda direta, isenção de impostos e elevação do seguro desemprego, sem contar o aumento dos gastos militares para financiar a campanha no Afeganistão.
Mas afinal, o que evitou uma crise financeira?
Basicamente, um atentado terrorista dessas proporções à maior economia do planeta pode provocar uma reação recessiva em cadeia da seguinte forma: queda na confiança de empresários e consumidores, redução dos investimentos e gastos, problemas de rolagem e refinanciamentos de dívidas e aumento da percepção de risco, renovando o ciclo com mais queda na confiança e por aí em diante.
Porém, o ponto nevrálgico que evitou a deflagração de uma deterioração econômica mais profunda foi o comportamento do consumidor norte-americano, que seguiu confiante, ou seja, gastando, consumindo.
A mídia norte-americana e o governo rapidamente alinharam seus discursos para instigar o orgulho do povo norte-americano, retoma Ana Laura.
Basicamente, a seguinte mensagem era reproduzida reiteradamente: "Esse é um ataque contra o povo norte-americano e seu estilo de vida. Nosso jeito de revidar é ir às ruas e não recuar, que é exatamente o que os terroristas querem provocar", completa a antropóloga, acreditando que forma com que o orgulho nacional mexe com os EUA provocou uma reação positiva da população.
Consumo e confiança
Apesar da poupança de muitas famílias norte-americanas ter sido diretamente afetada pela desvalorização quase que imediata das ações, a queda na taxa de juros reduziu os gastos com hipotecas de seus imóveis e o custo de capital para consumo, compensando a perda.
Além disso, se viu uma injeção de orgulho e propaganda do american way of life nos meses seguintes ao atentado, como forma de promover o sentido de unidade nacional e estimular o consumo e o desenvolvimento do país.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

TAGUATINGA ESTÁ COM 12OO VAGAS EM SEIS CURSOS

Com o objetivo de apoiar o trabalho de lideranças comunitárias, a Administração Regional de Taguatinga, tem o programa Escola da Comunidade, um espaço voltado para a promoção de cursos e palestras para zeladores, porteiros, síndicos, prefeitos comunitários e membros de associações de moradores. A Escola da Comunidade está com inscrições abertas para cursos de formação em cursos de formação de prefeito comunitário, síndico profissional, direito condominial, engenharia condominial, agente de portaria e primeiros socorros.


Andréa Serra, uma ex-aluna do curso de formação para síndicos, aprovou a iniciativa da escola e hoje usa o que aprendeu na gestão de seu condomínio. “Com as palestras de direito e dos engenheiros pude saber mais sobre legislação e engenharia, o que eu estou aplicando em meu condomínio”. O administrador de Taguatinga, Ricardo Lustosa Jacobina afirma que a iniciativa é um programa de sucesso da administração de Taguatinga. “A Escola da Comunidade é uma conquista de toda a p…

CONCURSO PARA CÃMARA LEGISLATIVA TERÁ 100 MIL CANDIDATOS

O tão esperado edital de abertura do concurso da Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF) deverá ser lançado até o mês de agosto. A informação foi divulgada pela própria Casa, que assinou o contrato com a Fundação Carlos Chagas (FCC) na última sexta-feira (7/7). Mas a espera pela distribuição das vagas nos cargos não é mais necessária. Veja abaixo para quais áreas serão destinadas as 86 oportunidades: divididas entre os cargos de técnico, consultor técnico, consultor e procurador.
O presidente da Câmara, deputado Joe Valle (PDT), espera que o concurso selecione os candidatos mais interessados em fazer carreira na casa, que tem atualmente o salário inicial de nível médio em R$ 10.143,07 e de nível superior em R$ 15.123,30. Segundo ele, a expectativa é de mais de 100 mil candidatos inscritos. Leia também:Mais de 15 mil vagas serão abertas no país até dezembro De acordo com a Casa, não haverá gastos para a realização do certame, pois a seleção será totalmente custeada pelos valores …

O SERVIDOR QUE ESPERA AUMENTO EM OUTUBRO "PODE TIRAR O CAVALINHO DACHUVA"

Escrevo este post com a profunda vontade de estar errado, todavia não sou tão otimista assim. A categoria funcional vinculada ao Governo Do Distrito Federal deverá ter uma visão de águia e planejar qualitativamente suas finanças nos próximos meses. Todos nós temos uma tendência em contar com o "ovo dentro da galinha" e realizar despesas ou pagar dívidas com créditos a receber.
O GDF tem se lastreado e se calçado por uma única linha de defesa e planejamento de governança, a Lei de Responsabilidade Fiscal. Não há outra ação propositiva concreta de desenvolvimento econômico para a capital. A "muleta" utilizada só é esquecida quando o governo anterior, o de Agnelo, se sobre põe ao atual na ingerência econômica social.
Vivemos uma crise, nisso não há novidade. Vivemos uma caos não há novidade alguma nisso. A novidade é na desculpa utilizada para justificar ações sem prumo. Falar que arrecadação não tem suprido as expectativas já não justifica o intenso e sistemático discu…