Pular para o conteúdo principal

Filas no BRB

Hoje fui pagar uma conta na agência de Taguatinga sul do BRB, ao chegar 14:25 hs, logo antes da porta giratória havia um balcão com uma moça oferecendo seu serviços de "posso ajudar?". Disse que precisava pagar uma conta e que só poderia ser no caixa. A moça prontamente me serviu uma senha onde estava escrito: AGUARDE NA FILA. Ok! Não entendi direito, mas obedeci aquilo que estava escrito na senha, afinal a senha sempre deixa subentendido um mínimo de organização. Ledo engano.

Depois de constatar que havia oito pessoas na minha frente pude fazer uma conta rápida, que se cada um levasse em média 03 minutos para ser atendido sairia daquela fila, na pior da hipóteses meia hora depois. Outro ledo engano. Só os dois primeiros clientes levaram 25 minutos para serem atendidos. Começei a ficar desesperado, pois tinha que ir ao trabalhar às 16:30hs e ainda restavam seis clientes.

A explicação para tanto desespero e nervosismo não estava, somente, no atendimento em si. É que tinham 28 pessoas atrás de mim que começavam a compartilhar o mesmo desespero que eu começava a demonstrar.

Havia 04 caixas visíveis, trabalhando freneticamente e com cara de muita preocupação com o burburinho que começava a crescer com o passar dos minutos. Entretanto, apenas dois atendiam a fila principal na qual eu estava. Um, atendia a fila "preferencial" que rapidamente despachava os seus clientes. E o outro caixa estava contando um imensa pilha de dinheiro.
Para resumir. Só fui atendido uma hora e quinze minutos depois de chegar ali. 


Eu estava com quinze dias de operado, e não tanto tempo disponível para pagar um boleto, somente um. Haja vista que os outros clientes pareciam estar com as contas de toda a família para pagar, pois havia gente com pilhas e calhamaços de papéis em pastas, bolsas e até malotes.Não deu para entender.

Bom vamos aos números da empresa e as várias ações que as instituições tem enfrentado na justiça por neglicenciar os direitos do cidadão.


As Instituições Bancárias de forma geral investem bilhões de reais em tecnologia e investimentos, mas não conseguem dirimir um problema gerado na contramão do desenvolvimento e da burocracia atrasada que prejudica o cidadão comum. Os valores que incrementam P&D (pesquisa e desenvolvimento) não tem obtido os efeitos desejados. Todavia os números que bancos, orgulhosamente, divulgam são cada vez mais animadores para investidores e acionistas, mas aviltante para cliente que necessita pegar fila. 





   Súmula n. 297 do STJ, de 09/09/2004:


            "O Código de Defesa do Consumidor é aplicável às instituições financeiras". (grifos nossos)
            38.- Neste sentido, verifica-se que a prestação de serviços bancários com a designação de pessoal insuficiente para permitir o atendimento ao consumidor de forma rápida e eficiente provoca riscos à saúde contra os quais as requeridas, na qualidade de fornecedoras daqueles serviços, têm o dever de protegê-lo



E outra, a Lei Distrital 2.547/2000 regulamenta e pune as agências bancárias que desrespeitam o cidadão. A Lei Distrital nº 2547/2000 (a Lei da Fila), apesar dos questionamentos quanto à sua constitucionalidade, tem o mérito no sentido de estabelecer tempo máximo de espera do cidadão em filas. "Manter alguém na fila por quase três horas é impor ao consumidor tratamento indigno, não só por questões de saúde física, mas emocional também como irritação, nervosismo, estresse que só quem fica três horas numa fila experimenta", assegura o juiz da sétima vara do Juizado Especial Cívil de Brasília quando condenou um empresa de telefonia a pagar R$2,5 mil de indenização por danos morais a cliente que ficou por três horas sem atendimento. Isso em agosto de 2009.

Resta saber para onde que são destinados os investimentos em qualidade no atendimento dos clientes. Passei o resto da tarde tentando fazer uma reclamação na ouvidoria (0800 6421105). Não consegui.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

TAGUATINGA ESTÁ COM 12OO VAGAS EM SEIS CURSOS

Com o objetivo de apoiar o trabalho de lideranças comunitárias, a Administração Regional de Taguatinga, tem o programa Escola da Comunidade, um espaço voltado para a promoção de cursos e palestras para zeladores, porteiros, síndicos, prefeitos comunitários e membros de associações de moradores. A Escola da Comunidade está com inscrições abertas para cursos de formação em cursos de formação de prefeito comunitário, síndico profissional, direito condominial, engenharia condominial, agente de portaria e primeiros socorros.


Andréa Serra, uma ex-aluna do curso de formação para síndicos, aprovou a iniciativa da escola e hoje usa o que aprendeu na gestão de seu condomínio. “Com as palestras de direito e dos engenheiros pude saber mais sobre legislação e engenharia, o que eu estou aplicando em meu condomínio”. O administrador de Taguatinga, Ricardo Lustosa Jacobina afirma que a iniciativa é um programa de sucesso da administração de Taguatinga. “A Escola da Comunidade é uma conquista de toda a p…

CONCURSO PARA CÃMARA LEGISLATIVA TERÁ 100 MIL CANDIDATOS

O tão esperado edital de abertura do concurso da Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF) deverá ser lançado até o mês de agosto. A informação foi divulgada pela própria Casa, que assinou o contrato com a Fundação Carlos Chagas (FCC) na última sexta-feira (7/7). Mas a espera pela distribuição das vagas nos cargos não é mais necessária. Veja abaixo para quais áreas serão destinadas as 86 oportunidades: divididas entre os cargos de técnico, consultor técnico, consultor e procurador.
O presidente da Câmara, deputado Joe Valle (PDT), espera que o concurso selecione os candidatos mais interessados em fazer carreira na casa, que tem atualmente o salário inicial de nível médio em R$ 10.143,07 e de nível superior em R$ 15.123,30. Segundo ele, a expectativa é de mais de 100 mil candidatos inscritos. Leia também:Mais de 15 mil vagas serão abertas no país até dezembro De acordo com a Casa, não haverá gastos para a realização do certame, pois a seleção será totalmente custeada pelos valores …

O SERVIDOR QUE ESPERA AUMENTO EM OUTUBRO "PODE TIRAR O CAVALINHO DACHUVA"

Escrevo este post com a profunda vontade de estar errado, todavia não sou tão otimista assim. A categoria funcional vinculada ao Governo Do Distrito Federal deverá ter uma visão de águia e planejar qualitativamente suas finanças nos próximos meses. Todos nós temos uma tendência em contar com o "ovo dentro da galinha" e realizar despesas ou pagar dívidas com créditos a receber.
O GDF tem se lastreado e se calçado por uma única linha de defesa e planejamento de governança, a Lei de Responsabilidade Fiscal. Não há outra ação propositiva concreta de desenvolvimento econômico para a capital. A "muleta" utilizada só é esquecida quando o governo anterior, o de Agnelo, se sobre põe ao atual na ingerência econômica social.
Vivemos uma crise, nisso não há novidade. Vivemos uma caos não há novidade alguma nisso. A novidade é na desculpa utilizada para justificar ações sem prumo. Falar que arrecadação não tem suprido as expectativas já não justifica o intenso e sistemático discu…