Pular para o conteúdo principal

ELEIÇÕES MUNICIPAIS 2012 - Opinião


Vivi, por muitos anos, envolvido efetivamente na política em todos os níveis, mas as circunstâncias pessoais e profissionais me levaram a me afastar da militância de forma definitiva daquela que era a paixão que tomou minha vida desde adolescência. 

Hoje sou privilegiado, pois assisto distante aquilo que, no primeiro momento é algo imprevisível, mas este jogo tem demonstrado no ciclo da existência brasileira, como sendo algo necessário e algo reflexivo do caráter do ser humano, componente da sociedade formadora dos conceitos e opiniões, ou seja, previsível. Veremos domingo, Haddad ganhando a prefeitura de São Paulo e o “carlismo” em Salvador. 

A lei é a seguinte: em São Paulo o governo federal vai vir com todo seu aparato intelectual e financeiro. Na Bahia o carioca Wagner é simpático, mas a ingerência em muitos casos da administração local não deve prevalecer teve dificuldade em colocar nos trilhos o metrô, por exemplo. O Saudosismo, e o “sangue novo” de ACM Neto deve prevalecer, apesar do “peso” do Palácio do Planalto. 

O que quero dizer é que as pessoas que hoje concorrem a um cargo eletivo são seres humanos sensíveis e com possibilidades reais de serem corrompidos. 

Pela vaidade pessoal e pelo segmento social que representam todos eles sem exceção gostariam de acertar. Porém nem todos farão isto. O que pode ser um diferencial na administração dos novos eleitos é o caráter pessoal. Por isso às vezes, a competência e os títulos que esse cidadão possui não influencia a decisão do eleitor. Mas sim a forma como esse candidato tem vivido e tratado o “público” nos últimos tempos. 

É a vaidade pessoal e o interesse nebuloso que impede a tomada de decisões imparciais que leva o prefeito ao erro. Seja estratégico seja tático. É esse mesmo tipo de erro que leva o eleitor a errar quando vota. Não pensa no coletivo, não pensa no tempo em que esse prefeito vai ficar no seu município governando, pensa exclusivamente em interesses pessoais no poder de barganha que terá se fulano for eleito. Não tenho como mensurar o desenvolvimento dos eleitores, mas creio que o brasileiro tem consciência da estirpe de muitos candidatos que se dispõe a representa-lo. 

Na abertura democrática tínhamos a desculpa de não termos experiência com o voto, argumento vencido pelo tempo. Então o que se coloca hoje é o caráter e a essência motivadora do erro, seja nas alianças de composição e estratégia da campanha, seja no formato adotado pelo político depois de eleito. 

Um tema “batido” e de uma retórica incrível, a Educação é o cerne é o ponto nevrálgico é a fonte inspiradora do acerto. Conclusão já aceita pelas autoridades legislativas e executivas como sendo a única forma definitiva de criar uma nação justa e mais igualitária(menos currupção). 

Por fim, não dá para encarar um embate sangrento uma guerra , como se tem visto nos jornais e redes sociais, e não sair sem nenhum ferimento de morte ou sem nenhuma cicatriz. Mas a pergunta que não quer calar. O QUE LEVA UM SER HUMANO INVESTIR TANTO TEMPO E DINHEIRO NUMA BATALHA TÃO VIOLENTA, SE GOVERNAR UM MUNICÍPIO E TÃO DIFÍCIL E EM MUITOS CASOS TÃO INGRATO? Tenho a certeza de que vale a pena lutar essa batalha. Se não valesse não teríamos tão competentes e influentes pessoas interessadas em estar destacadas no meio de milhares de candidatos. 

Adquirir o título de autoridade (prefeito) é só um detalhe. Ter poder é tudo para quem não tem escrúpulos. 

Saber escolher, estudar os candidatos, não votar em partido, votar em pessoas e ter conhecimento da lei eleitoral é o mínimo que o eleitor deveria saber. Papel do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) ou do TRE (Tribunal do Regional Eleitoral)? 

O fato é que só fazendo, praticando, errando é que o brasileiro vai chegar em um nível de excelência e mandando para o executivo local pessoas com um caráter melhor e mais envolvidos na mudança definitiva da sociedade local. Acredite meu amigo.
  
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

TAGUATINGA ESTÁ COM 12OO VAGAS EM SEIS CURSOS

Com o objetivo de apoiar o trabalho de lideranças comunitárias, a Administração Regional de Taguatinga, tem o programa Escola da Comunidade, um espaço voltado para a promoção de cursos e palestras para zeladores, porteiros, síndicos, prefeitos comunitários e membros de associações de moradores. A Escola da Comunidade está com inscrições abertas para cursos de formação em cursos de formação de prefeito comunitário, síndico profissional, direito condominial, engenharia condominial, agente de portaria e primeiros socorros.


Andréa Serra, uma ex-aluna do curso de formação para síndicos, aprovou a iniciativa da escola e hoje usa o que aprendeu na gestão de seu condomínio. “Com as palestras de direito e dos engenheiros pude saber mais sobre legislação e engenharia, o que eu estou aplicando em meu condomínio”. O administrador de Taguatinga, Ricardo Lustosa Jacobina afirma que a iniciativa é um programa de sucesso da administração de Taguatinga. “A Escola da Comunidade é uma conquista de toda a p…

CONCURSO PARA CÃMARA LEGISLATIVA TERÁ 100 MIL CANDIDATOS

O tão esperado edital de abertura do concurso da Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF) deverá ser lançado até o mês de agosto. A informação foi divulgada pela própria Casa, que assinou o contrato com a Fundação Carlos Chagas (FCC) na última sexta-feira (7/7). Mas a espera pela distribuição das vagas nos cargos não é mais necessária. Veja abaixo para quais áreas serão destinadas as 86 oportunidades: divididas entre os cargos de técnico, consultor técnico, consultor e procurador.
O presidente da Câmara, deputado Joe Valle (PDT), espera que o concurso selecione os candidatos mais interessados em fazer carreira na casa, que tem atualmente o salário inicial de nível médio em R$ 10.143,07 e de nível superior em R$ 15.123,30. Segundo ele, a expectativa é de mais de 100 mil candidatos inscritos. Leia também:Mais de 15 mil vagas serão abertas no país até dezembro De acordo com a Casa, não haverá gastos para a realização do certame, pois a seleção será totalmente custeada pelos valores …

O SERVIDOR QUE ESPERA AUMENTO EM OUTUBRO "PODE TIRAR O CAVALINHO DACHUVA"

Escrevo este post com a profunda vontade de estar errado, todavia não sou tão otimista assim. A categoria funcional vinculada ao Governo Do Distrito Federal deverá ter uma visão de águia e planejar qualitativamente suas finanças nos próximos meses. Todos nós temos uma tendência em contar com o "ovo dentro da galinha" e realizar despesas ou pagar dívidas com créditos a receber.
O GDF tem se lastreado e se calçado por uma única linha de defesa e planejamento de governança, a Lei de Responsabilidade Fiscal. Não há outra ação propositiva concreta de desenvolvimento econômico para a capital. A "muleta" utilizada só é esquecida quando o governo anterior, o de Agnelo, se sobre põe ao atual na ingerência econômica social.
Vivemos uma crise, nisso não há novidade. Vivemos uma caos não há novidade alguma nisso. A novidade é na desculpa utilizada para justificar ações sem prumo. Falar que arrecadação não tem suprido as expectativas já não justifica o intenso e sistemático discu…