Pular para o conteúdo principal

RH - Transformando a crise em oportunidade

Basta ler os jornais, revistas ou assistir aos noticiários da TV para saber que as coisas não andam muito bem em nosso país. As vendas caem, o desemprego sobe, a renda média dos assalariados cai, a gasolina e o gás de cozinha não abaixam, os preços sobem muito (qualquer um que faça compras no supermercado ou na feira sabe que falar em inflação de 1 ou 1,5% ao mês é figura de ficção, pois os preços se elevaram muito mais que 30% ou até 50% em curto espaço de tempo).

Por outro lado, temos um país com maravilhosas perspectivas: a agricultura e a exportação vão muito bem, temos um parque industrial atualizado, o grau de informatização de nosso país é crescente, nossa imagem no mundo gerou credibilidade, os indicadores sociais, apesar de tímidos, apresentam melhoras.

Quando se fala que a economia crescerá 1,5%, significa que num total, por exemplo, de R$ 900 bilhões teremos um aumento de R$ 13,5 bilhões. Não quero minimizar o impacto de encolhimento do PIB, mas se encolhermos 1,5% recuaremos R$ 13,5 bilhões. Mas a economia continua a movimentar R$ 886,5 bilhões... A vida continua: isto significa que as pessoas e as empresas têm suas atividades, o que representa consumo e investimento.

Creio que a grande questão que as empresas vivem hoje é como sobreviver e se desenvolver neste período de “vacas magras”, apostando no futuro e construindo tempos melhores.

A grande saída é dar um foco correto no negócio, gerando perspectivas compartilhadas com as equipes, numa visão do futuro possível, com pessoas que saibam aproveitar oportunidades e tenham motivação e perseverança para continuar firme em suas atuações. É claro que isto não substitui investimentos em novas máquinas e equipamentos, em ampliação da capacidade produtiva, mas isto é muito mais fácil de conseguir do que ter gente competente e motivada.

Investir no capital humano nas empresas é algo que não só traz retornos imediatos, como extremamente elevados. As melhores empresas para se trabalhar, segundo o critério da Revista Exame, apresentaram resultados de negócio (% de retorno sobre o patrimônio líquido) quatro vezes maiores que as outras empresas. Investir em gente, na dimensão humana é imprescindível para a continuidade, o sucesso e o desenvolvimento das empresas. Para tanto é importante buscar ações que tenham uma alta relação benefícios/ custos. Simplesmente cortar custos implica em ter benefícios zero!!!

Uma “agenda mínima” para a dimensão humana das empresas, a ser ajustada considerando as peculiaridades de cada negócio, é:

Ação: Definir uma visão de futuro da empresa: clara, entendida e compartilhada

Como implantar:

- Team Building para a definição.

- Reuniões da alta direção com todo o pessoal para difundir.

O que se ganha? Pessoal participante, conectado e orgulhoso dos propósitos da empresa.

Ação: Definir uma visão de futuro e metas da área de trabalho (departamento, unidade de negócios): clara, entendida e compartilhada.

Como implantar:

- Team Building para a definição.

- Reuniões dos líderes com todo o pessoal para difundir.

O que se ganha? Pessoal participante, conectado e orgulhoso dos propósitos de suas áreas de trabalho.

Ação: Treinamento de vendas, atendimento, foco nos clientes.

Como implantar: Workshops e palestras: técnicas e motivacionais.

O que se ganha? Pessoal capacitado e motivado.

Ação: Desenvolvimento de habilidades de gestão de pessoas e equipes: liderança, equipe, comunicações, reuniões.

Como implantar:

- Workshops e palestras que sejam técnicas e motivacionais.

- Apoio pós-workshop (counseling).

O que se ganha? Pessoal gerencial capacitado e motivado para agir nas dimensões humanas: saber mobilizar esforços, dar direção, treinar, reconhecer desempenhos.

Ação: Estímulo à inovação e criatividade.

Como implantar: Workshops e estímulos concretos.

O que se ganha? Novas idéias emergindo, valorizadas e implantadas.

Ação: Programa de Qualidade de Vida no Trabalho.

Como implantar: Ações localizadas que atenuem efeitos e causas.

O que se ganha? Redução do stress e aumento da motivação.

Esta agenda mínima deve ser apoiada por sistemas que assegurem a sua continuidade. Para tanto devem ser consideradas:

● Gestão de Competências.

● Gerenciamento por Resultados.

● Avaliação de Desempenho.

● Mapeamento 360º.

● Estrutura, diretrizes, práticas de Gestão de Pessoas e Equipes (RH).

Responda com clareza: o que sobra no seu negócio se for excluído o elemento humano? Provavelmente quase nada, será a resposta. Assim sendo, cuidar bem do pessoal gera resultados que virão muito rapidamente



Contribuição de Paulo Roberto da RH Portal.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

TAGUATINGA ESTÁ COM 12OO VAGAS EM SEIS CURSOS

Com o objetivo de apoiar o trabalho de lideranças comunitárias, a Administração Regional de Taguatinga, tem o programa Escola da Comunidade, um espaço voltado para a promoção de cursos e palestras para zeladores, porteiros, síndicos, prefeitos comunitários e membros de associações de moradores. A Escola da Comunidade está com inscrições abertas para cursos de formação em cursos de formação de prefeito comunitário, síndico profissional, direito condominial, engenharia condominial, agente de portaria e primeiros socorros.


Andréa Serra, uma ex-aluna do curso de formação para síndicos, aprovou a iniciativa da escola e hoje usa o que aprendeu na gestão de seu condomínio. “Com as palestras de direito e dos engenheiros pude saber mais sobre legislação e engenharia, o que eu estou aplicando em meu condomínio”. O administrador de Taguatinga, Ricardo Lustosa Jacobina afirma que a iniciativa é um programa de sucesso da administração de Taguatinga. “A Escola da Comunidade é uma conquista de toda a p…

CONCURSO PARA CÃMARA LEGISLATIVA TERÁ 100 MIL CANDIDATOS

O tão esperado edital de abertura do concurso da Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF) deverá ser lançado até o mês de agosto. A informação foi divulgada pela própria Casa, que assinou o contrato com a Fundação Carlos Chagas (FCC) na última sexta-feira (7/7). Mas a espera pela distribuição das vagas nos cargos não é mais necessária. Veja abaixo para quais áreas serão destinadas as 86 oportunidades: divididas entre os cargos de técnico, consultor técnico, consultor e procurador.
O presidente da Câmara, deputado Joe Valle (PDT), espera que o concurso selecione os candidatos mais interessados em fazer carreira na casa, que tem atualmente o salário inicial de nível médio em R$ 10.143,07 e de nível superior em R$ 15.123,30. Segundo ele, a expectativa é de mais de 100 mil candidatos inscritos. Leia também:Mais de 15 mil vagas serão abertas no país até dezembro De acordo com a Casa, não haverá gastos para a realização do certame, pois a seleção será totalmente custeada pelos valores …

O SERVIDOR QUE ESPERA AUMENTO EM OUTUBRO "PODE TIRAR O CAVALINHO DACHUVA"

Escrevo este post com a profunda vontade de estar errado, todavia não sou tão otimista assim. A categoria funcional vinculada ao Governo Do Distrito Federal deverá ter uma visão de águia e planejar qualitativamente suas finanças nos próximos meses. Todos nós temos uma tendência em contar com o "ovo dentro da galinha" e realizar despesas ou pagar dívidas com créditos a receber.
O GDF tem se lastreado e se calçado por uma única linha de defesa e planejamento de governança, a Lei de Responsabilidade Fiscal. Não há outra ação propositiva concreta de desenvolvimento econômico para a capital. A "muleta" utilizada só é esquecida quando o governo anterior, o de Agnelo, se sobre põe ao atual na ingerência econômica social.
Vivemos uma crise, nisso não há novidade. Vivemos uma caos não há novidade alguma nisso. A novidade é na desculpa utilizada para justificar ações sem prumo. Falar que arrecadação não tem suprido as expectativas já não justifica o intenso e sistemático discu…