Pular para o conteúdo principal

Polícia Militar (DF) gasta R$ 157,9 mil em ração para cães

Os cães da Polícia Militar do Distrito Federal devem ser bem alimentados em 2015. Cerca de R$ 157,9 mil estão registrados nas contas da PM para a aquisição de 17.600 pacotes de ração para cães filhotes e adultos. A preferência dos animais, ao que parece, é de ração de frango e da marca Premier.

Naturalmente, em um início de ano, algumas compras de reposição e de melhoria do ambiente de trabalho são feitas. Esta semana os gastos começam com uma compra do Gabinete da Vice-Presidência da República de R$ 8 mil em artigos de banho e roupas de cama para o Palácio do Jaburu, em Brasília.
Estão inclusos na compra dez jogos de banho, dez toalhas, 19 jogos de cama dos tipos Queen, King e solteiro e oito mantas, sendo seis de solteiro e duas de tamanho King. O Palácio do Jaburu foi projetado por Oscar Niemeyer para ser a residência oficial do vice-presidente da República e é usado exclusivamente para moradia.


A Secretaria do Superior Tribunal de Justiça também comprará mobília para a Corte. Duas poltronas fixas para pessoas com sobrepeso que devem custar um total de R$ 5,6 mil, e 40 frigobares para escritório por R$ 27,6 mil estão no carrinho do órgão. As cadeiras terão braços, assentos e encostos em madeira maciça, todos com estofamento e a base com tubo de aço.

A Câmara dos Deputados viu necessidade em adquirir 36 notebooks “all in one”, com tela sensível ao toque para “facilitar o registro biométrico de presença e de votação, de forma rotativa nas comissões da Câmara”. Para tanto, empenhou (reservou em orçamento) R$ 119 mil nos computadores da marca Dell Optilex 3030.

Já o Superior Tribunal Militar está começando o ano com a aquisição de itens menores, do dia a dia, como 45 porta-canetas e 1.500 calendários de mesa por R$ 6,7 mil. Os porta-canetas serão em couro marrom, com detalhes personalizados e direito à espaço para bloco de notas de 100 folhas.

Compra de veículos

O Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT) comprará quatro furgões e 50 veículos do tipo Sedan por R$ 3,6 milhões. Os carros servirão para necessidades gerais internas. De acordo com o órgão são frequentes os problemas com deslocamentos de passageiros e de materiais.
Já o Tribunal Regional do Trabalho da 3ª Região adquirirá quatro carros do tipo Doblô, cargo 1.8 16V Flex, da Fiat e na cor branca ao custo de R$ 225 mil. Cada veículo custará unitariamente cerca de R$ 56,3 mil.

Outro com a compra da mesma quantidade de veículos automotores é o Ministério Público. Serão viaturas para o transporte de pessoal, da Chevrolet, no modelo Spin e com capacidade de sete passageiros. Ao todo, a compra sairá um pouco mais barata que a dos Doblôs, por R$ 223,6 mil.



*Vale ressaltar que, a princípio, não existe nenhuma ilegalidade nem irregularidade neste tipo de gasto feito pela União e que o eventual cancelamento de tais empenhos certamente não ajudaria, por exemplo, na manutenção do superávit do governo ou em uma redução significativa de despesas. A intenção de publicar essas aquisições é popularizar a discussão em torno dos gastos públicos junto ao cidadão comum, no intuito de aumentar a transparência e o controle social, além de mostrar que a Administração Pública também possui, além de contas complexas, despesas curiosas.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

TAGUATINGA ESTÁ COM 12OO VAGAS EM SEIS CURSOS

Com o objetivo de apoiar o trabalho de lideranças comunitárias, a Administração Regional de Taguatinga, tem o programa Escola da Comunidade, um espaço voltado para a promoção de cursos e palestras para zeladores, porteiros, síndicos, prefeitos comunitários e membros de associações de moradores. A Escola da Comunidade está com inscrições abertas para cursos de formação em cursos de formação de prefeito comunitário, síndico profissional, direito condominial, engenharia condominial, agente de portaria e primeiros socorros.


Andréa Serra, uma ex-aluna do curso de formação para síndicos, aprovou a iniciativa da escola e hoje usa o que aprendeu na gestão de seu condomínio. “Com as palestras de direito e dos engenheiros pude saber mais sobre legislação e engenharia, o que eu estou aplicando em meu condomínio”. O administrador de Taguatinga, Ricardo Lustosa Jacobina afirma que a iniciativa é um programa de sucesso da administração de Taguatinga. “A Escola da Comunidade é uma conquista de toda a p…

CONCURSO PARA CÃMARA LEGISLATIVA TERÁ 100 MIL CANDIDATOS

O tão esperado edital de abertura do concurso da Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF) deverá ser lançado até o mês de agosto. A informação foi divulgada pela própria Casa, que assinou o contrato com a Fundação Carlos Chagas (FCC) na última sexta-feira (7/7). Mas a espera pela distribuição das vagas nos cargos não é mais necessária. Veja abaixo para quais áreas serão destinadas as 86 oportunidades: divididas entre os cargos de técnico, consultor técnico, consultor e procurador.
O presidente da Câmara, deputado Joe Valle (PDT), espera que o concurso selecione os candidatos mais interessados em fazer carreira na casa, que tem atualmente o salário inicial de nível médio em R$ 10.143,07 e de nível superior em R$ 15.123,30. Segundo ele, a expectativa é de mais de 100 mil candidatos inscritos. Leia também:Mais de 15 mil vagas serão abertas no país até dezembro De acordo com a Casa, não haverá gastos para a realização do certame, pois a seleção será totalmente custeada pelos valores …

O SERVIDOR QUE ESPERA AUMENTO EM OUTUBRO "PODE TIRAR O CAVALINHO DACHUVA"

Escrevo este post com a profunda vontade de estar errado, todavia não sou tão otimista assim. A categoria funcional vinculada ao Governo Do Distrito Federal deverá ter uma visão de águia e planejar qualitativamente suas finanças nos próximos meses. Todos nós temos uma tendência em contar com o "ovo dentro da galinha" e realizar despesas ou pagar dívidas com créditos a receber.
O GDF tem se lastreado e se calçado por uma única linha de defesa e planejamento de governança, a Lei de Responsabilidade Fiscal. Não há outra ação propositiva concreta de desenvolvimento econômico para a capital. A "muleta" utilizada só é esquecida quando o governo anterior, o de Agnelo, se sobre põe ao atual na ingerência econômica social.
Vivemos uma crise, nisso não há novidade. Vivemos uma caos não há novidade alguma nisso. A novidade é na desculpa utilizada para justificar ações sem prumo. Falar que arrecadação não tem suprido as expectativas já não justifica o intenso e sistemático discu…