Pular para o conteúdo principal

Isenção do IPVA não aqueceu economia do DF

Constatação levou governo a propor volta do imposto para carro zero-quilômetro no primeiro ano

Implementada em 2012, a isenção do Imposto de Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) no primeiro ano tinha como principal objetivo evitar que moradores do Distrito Federal comprassem carros em outras unidades da Federação. Três anos depois, mesmo com esse benefício, estudos da Secretaria de Fazenda apontam que a arrecadação da cidade com a venda de veículos novos diminuiu.


Em 2011, quando os automóveis eram comercializados sem a isenção do IPVA, Brasília recolheu R$ 559 milhões com o imposto. Em 2014, com a regra em vigor, o valor obtido foi de R$ 545 milhões. Ou seja, considerando a inflação do período, houve redução de R$ 14 milhões na receita.


O mesmo fenômeno pôde ser observado na avaliação do Imposto de Circulação de Mercadorias de Serviço (ICMS). Em 2011, o DF obteve receita de R$ 235,1 milhões. No ano seguinte, mesmo com as concessionárias propagando a venda de carro zero-quilômetro com isenção de IPVA, a arrecadação do ICMS, em valores reais, caiu R$ 21 milhões.


De acordo com o levantamento, houve incremento em 2013 e 2014, mas, provavelmente, tais resultados ocorreram em função da retomada parcial do aumento das alíquotas do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), base de cálculo do ICMS, e a fatores de conjuntura econômica.


No modelo atual, ao comprar um carro zero, o consumidor deixa de pagar o IPVA no primeiro ano, mas, nos três seguintes, a alíquota do imposto passa de 3% para 3,5%, reduzindo 0,5% no quarto ano de pagamento.


Para o assessor especial de gabinete da Secretaria de Fazenda, Wilson José de Paula, os números comprovam que não há evidências de uma mudança radical no comportamento dos consumidores da capital do País. "Não se verificou esse movimento de quem tinha o hábito de comprar em outro domicílio voltar a comprar no DF por causa da isenção do IPVA", explica de Paula, ex-subsecretário de Receita da pasta.


Menos emplacamentos
De Paula salienta a retração no número de automóveis emplacados nos últimos três anos. Embora deva ser levado em consideração o desaquecimento do setor em 2014, a procura de carros novos caiu, mesmo com a isenção do IPVA. Em 2011, o Departamento de Trânsito do DF (Detran-DF) emplacou 110.852 veículos, contra 98.370 no ano passado.


O fato de não alcançar as metas propostas com a medida fez o atual governo propor, no plano Pacto por Brasilia, anunciado no dia 27 de janeiro, o fim da isenção do IPVA para veículos zero-quilômetro. Essa e outras medidas de ajustes de impostos ainda precisam passar pelo crivo dos deputados distritais e, se aprovadas, começam a valer em 2016.

Postagens mais visitadas deste blog

TAGUATINGA ESTÁ COM 12OO VAGAS EM SEIS CURSOS

Com o objetivo de apoiar o trabalho de lideranças comunitárias, a Administração Regional de Taguatinga, tem o programa Escola da Comunidade, um espaço voltado para a promoção de cursos e palestras para zeladores, porteiros, síndicos, prefeitos comunitários e membros de associações de moradores. A Escola da Comunidade está com inscrições abertas para cursos de formação em cursos de formação de prefeito comunitário, síndico profissional, direito condominial, engenharia condominial, agente de portaria e primeiros socorros.


Andréa Serra, uma ex-aluna do curso de formação para síndicos, aprovou a iniciativa da escola e hoje usa o que aprendeu na gestão de seu condomínio. “Com as palestras de direito e dos engenheiros pude saber mais sobre legislação e engenharia, o que eu estou aplicando em meu condomínio”. O administrador de Taguatinga, Ricardo Lustosa Jacobina afirma que a iniciativa é um programa de sucesso da administração de Taguatinga. “A Escola da Comunidade é uma conquista de toda a p…

CONCURSO PARA CÃMARA LEGISLATIVA TERÁ 100 MIL CANDIDATOS

O tão esperado edital de abertura do concurso da Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF) deverá ser lançado até o mês de agosto. A informação foi divulgada pela própria Casa, que assinou o contrato com a Fundação Carlos Chagas (FCC) na última sexta-feira (7/7). Mas a espera pela distribuição das vagas nos cargos não é mais necessária. Veja abaixo para quais áreas serão destinadas as 86 oportunidades: divididas entre os cargos de técnico, consultor técnico, consultor e procurador.
O presidente da Câmara, deputado Joe Valle (PDT), espera que o concurso selecione os candidatos mais interessados em fazer carreira na casa, que tem atualmente o salário inicial de nível médio em R$ 10.143,07 e de nível superior em R$ 15.123,30. Segundo ele, a expectativa é de mais de 100 mil candidatos inscritos. Leia também:Mais de 15 mil vagas serão abertas no país até dezembro De acordo com a Casa, não haverá gastos para a realização do certame, pois a seleção será totalmente custeada pelos valores …

O SERVIDOR QUE ESPERA AUMENTO EM OUTUBRO "PODE TIRAR O CAVALINHO DACHUVA"

Escrevo este post com a profunda vontade de estar errado, todavia não sou tão otimista assim. A categoria funcional vinculada ao Governo Do Distrito Federal deverá ter uma visão de águia e planejar qualitativamente suas finanças nos próximos meses. Todos nós temos uma tendência em contar com o "ovo dentro da galinha" e realizar despesas ou pagar dívidas com créditos a receber.
O GDF tem se lastreado e se calçado por uma única linha de defesa e planejamento de governança, a Lei de Responsabilidade Fiscal. Não há outra ação propositiva concreta de desenvolvimento econômico para a capital. A "muleta" utilizada só é esquecida quando o governo anterior, o de Agnelo, se sobre põe ao atual na ingerência econômica social.
Vivemos uma crise, nisso não há novidade. Vivemos uma caos não há novidade alguma nisso. A novidade é na desculpa utilizada para justificar ações sem prumo. Falar que arrecadação não tem suprido as expectativas já não justifica o intenso e sistemático discu…