Pular para o conteúdo principal

Prospera libera mais de R$ 400 mil em empréstimos

Programa da Secretaria do Trabalho financia pequenos e micronegócios urbanos e rurais. Este ano, favoreceu 82 pessoas com R$ 953.343,11


Mais 38 empreendedores foram beneficiados, nesta segunda-feira (29), na Agência do Trabalhador do Plano Piloto, com recursos do Fundo de Geração de Emprego e Renda do DF. Por meio do Prospera — programa da Secretaria do Trabalho e do Empreendedorismo de incentivo a pequenos e microempreendimentos urbanos e rurais —, o empréstimo foi de R$ 409.100,13. Com isso, a soma de financiamentos para capital de giro, investimento e custeio concedidos em 2015 chega a R$ 953.343,11. 

Na primeira assinatura de contratos, ocorrida em 10 de junho, 44 pessoas receberam crédito de R$ 544.242,98. A próxima, em data ainda não definida, destinará cerca de R$ 313 mil em financiamentos.

“Em breve, atingiremos mais de R$ 1,2 milhão de empréstimos”, comemora o secretário do Trabalho e do Empreendedorismo, Georges Michel. “Até dezembro, queremos emprestar R$ 8 milhões, pois nossa meta é manter emprego, ocupação e gerar renda."

Santo Bispo dos Reis, 65 anos, um dos contemplados de hoje, é um antigo cliente do Prospera. No ramo de compra e venda de materiais recicláveis, principalmente alumínio e garrafas, ele fechou, nesta segunda-feira, o seu décimo-segundo contrato do programa: “Agora, vou fazer um local para depósito melhor, mas, graças a esses empréstimos, pude trabalhar com tranquilidade e construir três moradias para alugar”. 

Juros baixos
O Prospera apoia empreendimentos nas áreas urbana e rural localizados no Distrito Federal e na Região Integrada de Desenvolvimento Econômico do DF. Beneficia os setores de comércio, produção e serviços; cooperativas de trabalho e investimento; e custeio de atividades agrícolas.

O programa é voltado para empreendedores urbanos do setor informal, microempresas ou empresas de pequeno porte, artesãos e cooperativas de trabalho e produção. Na área rural, atinge produtores familiares e também associações de trabalho ou produção.



Entre as vantagens da iniciativa a empreendedores urbanos e rurais, está a baixa taxa de juros — 0,54% ao mês para quem utiliza os recursos como capital de giro e 0,5% mensal para os que pretendem fazer investimento em seus negócios.

Outro atrativo é o prazo de pagamento: até um ano e meio com carência de três meses para capital de giro; e até 30 meses com opção de até seis meses de carência a empréstimos contraídos para investimentos.

Setor agrícola
O crédito rural apresenta juros de aproximadamente 2% ao ano, com um ano, mais 12 meses de carência para pagamento quando o recurso se destinar a custeio; e 3% anuais a dinheiro aplicado em investimento, com 60 meses de prazo de quitação e até dois anos de carência.

Os recursos podem ser utilizados para aquisição de mercadorias, matérias-primas, insumos agrícolas — sementes, defensivos, adubos e outros —, compra de ferramentas, máquinas e equipamentos, além da recuperação e conserto de veículos utilitários e melhoria e/ou ampliação de instalações próprias.

Os limites de crédito do Prospera aumentam à medida que o empreendedor faz novos financiamentos. Os empréstimos limitam-se a R$ 22,6 mil para pessoas físicas; R$ 45,2 mil a jurídicas e produtores rurais; e até R$ 66 mil no caso de cooperativas de trabalho e produção. 

Postagens mais visitadas deste blog

TAGUATINGA ESTÁ COM 12OO VAGAS EM SEIS CURSOS

Com o objetivo de apoiar o trabalho de lideranças comunitárias, a Administração Regional de Taguatinga, tem o programa Escola da Comunidade, um espaço voltado para a promoção de cursos e palestras para zeladores, porteiros, síndicos, prefeitos comunitários e membros de associações de moradores. A Escola da Comunidade está com inscrições abertas para cursos de formação em cursos de formação de prefeito comunitário, síndico profissional, direito condominial, engenharia condominial, agente de portaria e primeiros socorros.


Andréa Serra, uma ex-aluna do curso de formação para síndicos, aprovou a iniciativa da escola e hoje usa o que aprendeu na gestão de seu condomínio. “Com as palestras de direito e dos engenheiros pude saber mais sobre legislação e engenharia, o que eu estou aplicando em meu condomínio”. O administrador de Taguatinga, Ricardo Lustosa Jacobina afirma que a iniciativa é um programa de sucesso da administração de Taguatinga. “A Escola da Comunidade é uma conquista de toda a p…

CONCURSO PARA CÃMARA LEGISLATIVA TERÁ 100 MIL CANDIDATOS

O tão esperado edital de abertura do concurso da Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF) deverá ser lançado até o mês de agosto. A informação foi divulgada pela própria Casa, que assinou o contrato com a Fundação Carlos Chagas (FCC) na última sexta-feira (7/7). Mas a espera pela distribuição das vagas nos cargos não é mais necessária. Veja abaixo para quais áreas serão destinadas as 86 oportunidades: divididas entre os cargos de técnico, consultor técnico, consultor e procurador.
O presidente da Câmara, deputado Joe Valle (PDT), espera que o concurso selecione os candidatos mais interessados em fazer carreira na casa, que tem atualmente o salário inicial de nível médio em R$ 10.143,07 e de nível superior em R$ 15.123,30. Segundo ele, a expectativa é de mais de 100 mil candidatos inscritos. Leia também:Mais de 15 mil vagas serão abertas no país até dezembro De acordo com a Casa, não haverá gastos para a realização do certame, pois a seleção será totalmente custeada pelos valores …

O SERVIDOR QUE ESPERA AUMENTO EM OUTUBRO "PODE TIRAR O CAVALINHO DACHUVA"

Escrevo este post com a profunda vontade de estar errado, todavia não sou tão otimista assim. A categoria funcional vinculada ao Governo Do Distrito Federal deverá ter uma visão de águia e planejar qualitativamente suas finanças nos próximos meses. Todos nós temos uma tendência em contar com o "ovo dentro da galinha" e realizar despesas ou pagar dívidas com créditos a receber.
O GDF tem se lastreado e se calçado por uma única linha de defesa e planejamento de governança, a Lei de Responsabilidade Fiscal. Não há outra ação propositiva concreta de desenvolvimento econômico para a capital. A "muleta" utilizada só é esquecida quando o governo anterior, o de Agnelo, se sobre põe ao atual na ingerência econômica social.
Vivemos uma crise, nisso não há novidade. Vivemos uma caos não há novidade alguma nisso. A novidade é na desculpa utilizada para justificar ações sem prumo. Falar que arrecadação não tem suprido as expectativas já não justifica o intenso e sistemático discu…