Pular para o conteúdo principal

Raio X das Greves

Governador suspendeu reajustes alegando falta de dinheiro em caixa. Impacto com aumentos seria de R$ 400 milhões, informou Executivo.
Por Raquel Morais, do G1 DF – Desde que o governador Rodrigo Rollemberg anunciou a suspensão dos reajustes concedidos de forma escalonada em 2013, diversas categorias do funcionalismo público entraram em greve no Distrito Federal. A medida foi tomada sob a alegação de falta de dinheiro em caixa para os repasses. O impacto até o final do ano seria de R$ 400 milhões, de acordo com o Executivo.
AS GREVES DO FUNCIONALISMO PÚBLICO DO DISTRITO FEDERAL
CATEGORIAINÍCIOADESÃOREAJUSTE PENDENTEOUTRAS REIVINDICAÇÕESIMPACTO NOS SERVIÇOSSITUAÇÃO JUDICIAL
Técnicos e auxiliares em enfermagem7 de outubro70% dos
14 mil servidores
6,95%Jornada de 20 h semanais, em vez das atuais 24 hExames, marcação de consultas e vacinação estão suspensosIlegal
Médicos8 de outubroSem estimativa. Rede pública tem 4,6 mil médicos.5%– Fiscalização de programas de residência
– Plano de carreira e de valorização
– Garantia de medicamentos e insumos
– Respeito à fila de transferência dos profissionais
– Pagamento de horas extras
Atendimentos ambulatoriais e cirurgias eletivas estão suspensosIlegal. Sindicato recorreu
Professores15 de outubro70% dos
33 mil servidores
3,5%– Pagamento integral do 13º de  novatos
– Respeito à jornada de trabalho
Aulas nas escolas públicas, técnicas, centros de línguas e Escola de Música estão suspensasIlegal
Agentes do DER8 de outubroNão informado6,77%Suspensão da reversão de faixas e de fiscalizações de trânsitoNão foi judicializada
Agentes do Detran27 de outubro100% dos 1,3 mil servidores5%– Pagamento no dia 30, em vez do 5º dia útil do mês
– Redução da jornada de trabalho de 40 h para 30 h
– Reforma e modernização de instalações
– Fornecimento de colestes balísticos para os agentes
– Reajuste na gratificação de titularidade
Vistoria de veículos, emissão de documentos, fiscalização de trânsito, apreensão e liberação de veículos, processos de obtenção de renovação de CNH e análise de recursos de multas estão suspensosNão foi judicializada
Metroviários3 de novembro75% de
1,2 mil
8,9%– Convocação dos aprovados no concurso de 2013
– Execução dos projetos de modernização do sistema
– Redução do número e valor de contratos de terceirização
Catracas foram liberadas e o número de trens em circulação diminuiu. O Metrô decidiu suspender todo o serviço, alegando falta de segurançaCategoria se reúne com direção da empresa para audiência de conciliação nesta quarta.
Na Hora8 de outubroSem estimativaEstão suspensas a emissão de carteiras de identidade, consultas a processos em 15 órgãos do GDF e emissão de 2ª via de contasNão foi judicializada
Ibram8 de outubroSem estimativa16,41%Estão fechados  10 dos 12 parques do DF. Apenas Águas Claras e Sudoeste permanecem em funcionamentoNão foi judicializada
Políticas Públicas e Gestão Governamental8 de outubroSem estimativa12,51%Estão suspensas as atividades meio nas administrações regionais e nas secretarias de Estado, como autorização para festas ou comércio em áreas públicasNão foi judicializada
Gestão de apoio à Polícia Civil8 de outubroSem estimativa12,01%Suspensas as atividades administrativas de suporte à corporaçãoNão foi judicializada
Músicos da Orquestra Sinfônica8 de outubroSem estimativa8,93%Não foi judicializada
Atividades culturais8 de outubroSem estimativa12,23%Estão suspensos trâmites na Secretaria de Cultura, como análise de projetosNão foi judicializada
Servidores da Novacap3 de
novembro
80% de
2,2 mil
– Pedem reposição inflacionária, que dizem ser de 10%. Não foram beneficiados em 2013 com o reajuste escalonadoEstão suspensas podas e recuperação de asfaltoNão foi judicializada

O governador chegou a apresentar um plano para pagamento dos reajustes a partir de outubro do ano que vem, que desagradou servidores. Parte só voltou ao trabalho depois de a Justiça decretar os atos ilegais, como agentes penitenciários, servidores do sistema socioeducativo e funcionários do Hemocentro.
A suspensão dos reajustes integra um pacote anticrise, que traz ainda aumento nas tarifas de ônibus e metrô, implantação de um plano de demissão voluntária nas empresas públicas, aumento de impostos e nos valores de entrada do zoológico e dos 13 restaurantes comunitários. O DF tem 141 mil servidores públicos.

Fonte: Blog do Callado

Postagens mais visitadas deste blog

TAGUATINGA ESTÁ COM 12OO VAGAS EM SEIS CURSOS

Com o objetivo de apoiar o trabalho de lideranças comunitárias, a Administração Regional de Taguatinga, tem o programa Escola da Comunidade, um espaço voltado para a promoção de cursos e palestras para zeladores, porteiros, síndicos, prefeitos comunitários e membros de associações de moradores. A Escola da Comunidade está com inscrições abertas para cursos de formação em cursos de formação de prefeito comunitário, síndico profissional, direito condominial, engenharia condominial, agente de portaria e primeiros socorros.


Andréa Serra, uma ex-aluna do curso de formação para síndicos, aprovou a iniciativa da escola e hoje usa o que aprendeu na gestão de seu condomínio. “Com as palestras de direito e dos engenheiros pude saber mais sobre legislação e engenharia, o que eu estou aplicando em meu condomínio”. O administrador de Taguatinga, Ricardo Lustosa Jacobina afirma que a iniciativa é um programa de sucesso da administração de Taguatinga. “A Escola da Comunidade é uma conquista de toda a p…

O SERVIDOR QUE ESPERA AUMENTO EM OUTUBRO "PODE TIRAR O CAVALINHO DACHUVA"

Escrevo este post com a profunda vontade de estar errado, todavia não sou tão otimista assim. A categoria funcional vinculada ao Governo Do Distrito Federal deverá ter uma visão de águia e planejar qualitativamente suas finanças nos próximos meses. Todos nós temos uma tendência em contar com o "ovo dentro da galinha" e realizar despesas ou pagar dívidas com créditos a receber.
O GDF tem se lastreado e se calçado por uma única linha de defesa e planejamento de governança, a Lei de Responsabilidade Fiscal. Não há outra ação propositiva concreta de desenvolvimento econômico para a capital. A "muleta" utilizada só é esquecida quando o governo anterior, o de Agnelo, se sobre põe ao atual na ingerência econômica social.
Vivemos uma crise, nisso não há novidade. Vivemos uma caos não há novidade alguma nisso. A novidade é na desculpa utilizada para justificar ações sem prumo. Falar que arrecadação não tem suprido as expectativas já não justifica o intenso e sistemático discu…

ECONOMIA E A LEI DA ESCASSEZ

Em Economia tudo se resume a uma restrição quase que física - a lei da escassez, isto é, produzir o máximo de bens e serviços a partir dos recursos escassos disponíveis a cada sociedade. Se uma quantidade infinita de cada bem pudesse ser produzida, se os desejos humanos pudessem ser completamente satisfeitos, não importaria que uma quantidade excessiva de certo bem fosse de fato produzida. Nem importaria que os recursos disponíveis: trabalho, terra e capital (este deve ser entendido como máquinas, edifícios, matérias-primas etc.) fossem combinados irracionalmente para produção de bens. Não havendo o problema da escassez, não faz sentido se falar em desperdício ou em uso irracional dos recursos e na realidade só existiriam os "bens livres". Bastaria fazer um pedido e, pronto, um carro apareceria de graça.
Na realidade, ocorre que a escassez dos recursos disponíveis acaba por gerar a escassez dos bens - chamados "bens econômicos". Por exemplo: as jazidas de minério de…