Pular para o conteúdo principal

Empregados Públicos do DF, lutam por opção sobre Regime de trabalho

Empregados públicos discutem regime de trabalho
Empregado públicos discutem o regime de trabalho na CLDF
Foto de Silvio Abdon
As reivindicações de várias categorias de servidores públicos do DF foram debatidas em audiência pública realizada na manhã desta quarta-feira (18), no auditório da Câmara Legislativa, com destaque para a luta dos empregados públicos de empresas em extinção conquistarem o direito de optarem pela mudança do regime de trabalho. A medida está prevista na Emenda à Lei Orgânica (ELO 93), de autoria do deputado Wellington Luiz (PMDB) que presidiu a reunião de hoje, que se transformou uma grande assembleia de hoje.
Ao final da audiência pública, os servidores aprovaram proposta apresentada pelo presidente do Sindicato dos Servidores e Empregados da Administração Direta, Fundacional, das Autarquias, Empresas Públicas e Sociedade de Economia Mista do DF (Sindser), André Luiz da Conceição, para a realização de um grande manifestação na Praça do Buriti, na manhã de 8 de junho, para pressionarem o governador a retirar de tramitação a ação direta de inconstitucionalidade (Adin) contra projeto aprovado na Câmara Legislativa que dá direito a empregados de empresas públicas optarem pelo regime de estatuário.

Wellington Luiz enfatizou, ao final da audiência pública, a necessidade de o governo desistir da Adin, que será julgada no STJ. Propôs também a criação de grupo de trabalho com representantes do governo e de empresas extintas, como a SAB, para tratar do reaproveitamento dos servidores, sem prejuízo dos direitos trabalhistas, citando o caso dos aposentados. "O governador tem que tomar uma posição política em defesa da proposta que aprovamos na Câmara Legislativa, pois o Ministério Público nem se manifestou contra a PELO"- exortou.
O secretário adjunto interino de Gestão Administrativa do GDF, Marcelo Lima, anunciou que o governo aceita debater as questões sobre a ELO 93 em grupo de trabalho formado com representantes dos servidores da SAB, intermediados pelo sindicato da categoria. Ele também se comprometeu a debater tecnicamente a reivindicação do direito de mudança de regime de trabalho, conforme consta na ELO 93, defendida pelos empregados.
Ao manifestar apoio às reivindicações dos servidores das categorias representadas na audiência pública, o deputado federal Rôney Nemer (PP) defendeu a necessidade de os servidores públicos se mobilizarem para garantir a manutenção dos direitos trabalhistas, enfatizando que essa luta também está sendo travada no Congresso Nacional. O deputado distrital Cristiano Araújo (PSD) também se solidarizou com a defesa da proposta de emenda à Lei Orgânica que garante o direito de opção sobre o regime de trabalho, para aqueles empregados.
Concurso - Também se manifestaram na audiência pública, com muitas críticas ao governo local, servidores da Caesb, que estão em greve, como também concursados da CEB, que cobraram a convocação de aprovados e a prorrogação da validade do concurso, realizado em 2002. Empregados da Novacap fizeram protestos contra o que chamaram de "sucateamento" da empresa ao longo dos últimos anos e lembraram que desde 1992 a empresa não realiza concurso público. 

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

TAGUATINGA ESTÁ COM 12OO VAGAS EM SEIS CURSOS

Com o objetivo de apoiar o trabalho de lideranças comunitárias, a Administração Regional de Taguatinga, tem o programa Escola da Comunidade, um espaço voltado para a promoção de cursos e palestras para zeladores, porteiros, síndicos, prefeitos comunitários e membros de associações de moradores. A Escola da Comunidade está com inscrições abertas para cursos de formação em cursos de formação de prefeito comunitário, síndico profissional, direito condominial, engenharia condominial, agente de portaria e primeiros socorros.


Andréa Serra, uma ex-aluna do curso de formação para síndicos, aprovou a iniciativa da escola e hoje usa o que aprendeu na gestão de seu condomínio. “Com as palestras de direito e dos engenheiros pude saber mais sobre legislação e engenharia, o que eu estou aplicando em meu condomínio”. O administrador de Taguatinga, Ricardo Lustosa Jacobina afirma que a iniciativa é um programa de sucesso da administração de Taguatinga. “A Escola da Comunidade é uma conquista de toda a p…

CONCURSO PARA CÃMARA LEGISLATIVA TERÁ 100 MIL CANDIDATOS

O tão esperado edital de abertura do concurso da Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF) deverá ser lançado até o mês de agosto. A informação foi divulgada pela própria Casa, que assinou o contrato com a Fundação Carlos Chagas (FCC) na última sexta-feira (7/7). Mas a espera pela distribuição das vagas nos cargos não é mais necessária. Veja abaixo para quais áreas serão destinadas as 86 oportunidades: divididas entre os cargos de técnico, consultor técnico, consultor e procurador.
O presidente da Câmara, deputado Joe Valle (PDT), espera que o concurso selecione os candidatos mais interessados em fazer carreira na casa, que tem atualmente o salário inicial de nível médio em R$ 10.143,07 e de nível superior em R$ 15.123,30. Segundo ele, a expectativa é de mais de 100 mil candidatos inscritos. Leia também:Mais de 15 mil vagas serão abertas no país até dezembro De acordo com a Casa, não haverá gastos para a realização do certame, pois a seleção será totalmente custeada pelos valores …

O SERVIDOR QUE ESPERA AUMENTO EM OUTUBRO "PODE TIRAR O CAVALINHO DACHUVA"

Escrevo este post com a profunda vontade de estar errado, todavia não sou tão otimista assim. A categoria funcional vinculada ao Governo Do Distrito Federal deverá ter uma visão de águia e planejar qualitativamente suas finanças nos próximos meses. Todos nós temos uma tendência em contar com o "ovo dentro da galinha" e realizar despesas ou pagar dívidas com créditos a receber.
O GDF tem se lastreado e se calçado por uma única linha de defesa e planejamento de governança, a Lei de Responsabilidade Fiscal. Não há outra ação propositiva concreta de desenvolvimento econômico para a capital. A "muleta" utilizada só é esquecida quando o governo anterior, o de Agnelo, se sobre põe ao atual na ingerência econômica social.
Vivemos uma crise, nisso não há novidade. Vivemos uma caos não há novidade alguma nisso. A novidade é na desculpa utilizada para justificar ações sem prumo. Falar que arrecadação não tem suprido as expectativas já não justifica o intenso e sistemático discu…