Pular para o conteúdo principal

O Brasil muda de comando, saí o vermelho entra o verde amarelo

Opinião

Não há nada que comemorar, pelo contrário temos que lamentar ocorridos nos últimos meses com nosso amado Brasil.

Os agentes políticos e instituições que conduziram o processo de impeachement até aqui levam consigo uma pecha de corruptos e de sempre estarem envolvidos com interesses nebulosos.
Presidente Michel Temer toma posse em Brasília
Michel Temer PMDB, presidente do Brasil

Reforma Política

 "A Reforma Política é o nome dado ao conjunto de propostas de emendas constitucionais (EC) da legislação eleitoral, com fins de tentar melhorar o sistema eleitoral nacional, proporcionando, segundo seus defensores, maior correspondência entre a vontade do eleitor ao votar e o resultado final das urnas".

Pouco referenciada no dia do afastamento da presidente Dilma e da posse de Michel Temer (PMDB) e com apoio da maioria no Câmara dos Deputados, 379 parlamentares, Temer terá uma base mais que suficiente para aprovar qualquer medida de reforma política que indica ficará para um segundo momento, devido a urgência e ao grau de gravidade da crise econômica, mas nem por isso é menos importante.

Reforma Tributária e as primeiras medidas

A manutenção dos projetos sociais criados pelo PT serão mantidos e a intenção do governo e melhora-los.
O equílibrio fiscal é o desafio imediato da equipe econômica liderada por Henrique Meirelles  

A proposta mais ambiciosa, dentro desse pacote, será a fixação de um limite para o aumento dos gastos públicos. As despesas não poderão subir mais do que a variação do Produto Interno Bruto (PIB) do ano anterior, dando previsibilidade à gestão das finanças.

Se o novo governo não conseguir consenso para cortes fortes da despesa terá que aumentar carga tributária. O Ministro do Planejamento Romero Jucá, começará pelo cortes de despesas antes que se cogite qualquer aumento de impostos. Além de o novo governo ter a chance de poder começar o ajuste fiscal e as reformas estruturais que o país precisa, terá que realizar uma reforma administrativa que possibilite a um aumento na contenção de despesas.

O corte na quantidade ministérios e em cargos comissionados já sinaliza um perfil econômico do governo.
As declaração em referência a contenção ou redução dos juros, por parte de integrantes do governo mas é iminente essa decisão pelo COPOM,

Foco no Crescimento 

Quando o presidente em exercício Michel Temer sugere que não falemos em crise e que devemos trabalhar, ele deixa subentendido que muitas serão as distrações no sentido de perder o foco, principalmente da oposição "profissional" do Partido dos Trabalhadores que fadados ao desaparecimento não medirão esforços para que as Medidas Provisórias já encaminhadas ao Congresso Nacional, leia-se Câmara dos Deputados não sejam aprovadas. Isso quer dizer que atravancar o processo de reformas não significa um golpe? Já que essas medidas são de extrema necessidade ao país, mas principalmente aos mais pobres.

E por fim o  Brasil mudou de comando, mas não mudou de problema, mudou o grupo de oposição (os petistas são mais profissionais quando se trata de oposição e mais competente nas ações de mobilização partidária que o PSDB), mas não mudou os quadros que hoje ocupam a esplanada do ministério. 

O Brasil mudou e fortaleceu a democracia, pois tirar do poder uma força política partidária de esquerda como o PT, de forma democrática e com todas as instituições funcionando significa   que o povo amadureceu e cresceu na participação dos grandes temas. Parabéns ao povo brasileiro.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

TAGUATINGA ESTÁ COM 12OO VAGAS EM SEIS CURSOS

Com o objetivo de apoiar o trabalho de lideranças comunitárias, a Administração Regional de Taguatinga, tem o programa Escola da Comunidade, um espaço voltado para a promoção de cursos e palestras para zeladores, porteiros, síndicos, prefeitos comunitários e membros de associações de moradores. A Escola da Comunidade está com inscrições abertas para cursos de formação em cursos de formação de prefeito comunitário, síndico profissional, direito condominial, engenharia condominial, agente de portaria e primeiros socorros.


Andréa Serra, uma ex-aluna do curso de formação para síndicos, aprovou a iniciativa da escola e hoje usa o que aprendeu na gestão de seu condomínio. “Com as palestras de direito e dos engenheiros pude saber mais sobre legislação e engenharia, o que eu estou aplicando em meu condomínio”. O administrador de Taguatinga, Ricardo Lustosa Jacobina afirma que a iniciativa é um programa de sucesso da administração de Taguatinga. “A Escola da Comunidade é uma conquista de toda a p…

O SERVIDOR QUE ESPERA AUMENTO EM OUTUBRO "PODE TIRAR O CAVALINHO DACHUVA"

Escrevo este post com a profunda vontade de estar errado, todavia não sou tão otimista assim. A categoria funcional vinculada ao Governo Do Distrito Federal deverá ter uma visão de águia e planejar qualitativamente suas finanças nos próximos meses. Todos nós temos uma tendência em contar com o "ovo dentro da galinha" e realizar despesas ou pagar dívidas com créditos a receber.
O GDF tem se lastreado e se calçado por uma única linha de defesa e planejamento de governança, a Lei de Responsabilidade Fiscal. Não há outra ação propositiva concreta de desenvolvimento econômico para a capital. A "muleta" utilizada só é esquecida quando o governo anterior, o de Agnelo, se sobre põe ao atual na ingerência econômica social.
Vivemos uma crise, nisso não há novidade. Vivemos uma caos não há novidade alguma nisso. A novidade é na desculpa utilizada para justificar ações sem prumo. Falar que arrecadação não tem suprido as expectativas já não justifica o intenso e sistemático discu…

ECONOMIA E A LEI DA ESCASSEZ

Em Economia tudo se resume a uma restrição quase que física - a lei da escassez, isto é, produzir o máximo de bens e serviços a partir dos recursos escassos disponíveis a cada sociedade. Se uma quantidade infinita de cada bem pudesse ser produzida, se os desejos humanos pudessem ser completamente satisfeitos, não importaria que uma quantidade excessiva de certo bem fosse de fato produzida. Nem importaria que os recursos disponíveis: trabalho, terra e capital (este deve ser entendido como máquinas, edifícios, matérias-primas etc.) fossem combinados irracionalmente para produção de bens. Não havendo o problema da escassez, não faz sentido se falar em desperdício ou em uso irracional dos recursos e na realidade só existiriam os "bens livres". Bastaria fazer um pedido e, pronto, um carro apareceria de graça.
Na realidade, ocorre que a escassez dos recursos disponíveis acaba por gerar a escassez dos bens - chamados "bens econômicos". Por exemplo: as jazidas de minério de…