Pular para o conteúdo principal

PRODUZA VOCÊ MESMO - CASA THOMAS JEFFERSON INAUGURA MAKER SPACE



Foto: Ascom Thomas Jefferson
Com metodologia inovadora, instituição abre as portas de um espaço educacional destinado à idealização e execução de projetos, com suporte para viabilizá-los na prática

Pioneira e vanguardista, a Casa Thomas Jefferson traz para a capital federal um conceito diferenciado de educação. Dia 09 de agosto, a instituição inaugura o primeiro maker space de um centro binacional na América do Sul. O novo espaço foi instalado na unidade da Asa Norte (606 Norte) para atender adultos, jovens e crianças, estimulando o espírito empreendedor, autônomo, criativo e inventivo.
O maker space ou “espaço para se fazer” é mais do que uma simples sala de aula. É um ambiente de aprendizagem que estabelece um elo paradoxal entre teoria e prática, passado e futuro, o simples e o complexo. Em resumo, um maker space nada mais é que um local onde o conhecimento é verificado, testado e posto à prova. Por meio da experimentação e de uma pesquisa original, mediada por professores e tutores, os alunos desenvolvem um projeto autoral.
Em 600m², que incluem salas-laboratórios, resource center e auditórios, a instituição investiu em equipamentos para dar suporte aos estudantes, como máquinas de costura, impressoras, cortadores a laser e até mesmo uma impressora 3D. Tudo para que se possa executar os projetos de forma realista, para que se tornem startups viáveis e autossustentáveis.
O objetivo central do espaço é ir além dos alunos da própria instituição em suas atividades, algumas gratuitas inclusive. A proposta abrange o envolvimento da comunidade para fomentar a produção de conhecimento dentro da Casa Thomas Jefferson. O compromisso da instituição sempre foi com a educação, por isso trabalha-se com o intuito de abrir um espaço de efervescência cultural. Abrem-se as portas de um ambiente de acolhimento e maturação de boas ideias.
O indivíduo maker
Para se compreender melhor o que almeja esta metodologia, é preciso entender o que é um maker. O conceito foi apresentado pela primeira vez por Dale Dougherty em 2005, que deu início ao movimento nos Estados Unidos. Para ele, a sociedade chegou a um ponto de exacerbado consumo e imediatismo.
A partir disto, ele viu a necessidade de instigar as pessoas à criação, criatividade e reflexão, mas principalmente da execução. De uma forma mais estreita, é o melhor aproveitamento dos recursos naturais e dos objetos. Do ponto de vista amplo, é ser o protagonista de um processo empreendedor, que se propõe e desenvolver soluções para problemas cotidianos.
Ensino da língua inglesa
Um dos pilares da Casa Thomas Jefferson é o ensino da língua inglesa. Por isto, as aulas, oficinas e workshops oferecidos são ministrados em inglês, desenvolvendo o pensamento no idioma e exercitando-o. Afinal, o inglês é fundamental para que uma startup cresça e conquiste o mundo. O aluno precisa ser capaz de elaborar, apresentar e comercializar projetos na língua mais utilizada no mundo business.
A Casa Thomas Jefferson
Fundada em 1963 na recém-inaugurada capital federal, a Casa Thomas Jefferson é um centro binacional, sem fins lucrativos. Isto significa que o nosso principal objetivo é promover o intercâmbio cultural entre dois povos do continente americano: o Brasil e os Estados Unidos. Este intercâmbio se dá por meio do ensino da língua inglesa e da promoção da cultura dos dois países. Por isso, além dos cursos regulares e especiais, elaborados de acordo com as mais modernas técnicas de ensino, são oferecidos uma série de serviços que estão à disposição da comunidade. Atualmente conta com seis unidades: Asa Sul, Asa Norte, Lago Sul, Sudoeste, Taguatinga, Águas Claras, além de polos em escolas parceiras.
 
Serviço
Maker Space Casa Thomas Jefferson
Endereço: SGAN 606 Bloco B (entrada pela L3) – Brasília-DF
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

TAGUATINGA ESTÁ COM 12OO VAGAS EM SEIS CURSOS

Com o objetivo de apoiar o trabalho de lideranças comunitárias, a Administração Regional de Taguatinga, tem o programa Escola da Comunidade, um espaço voltado para a promoção de cursos e palestras para zeladores, porteiros, síndicos, prefeitos comunitários e membros de associações de moradores. A Escola da Comunidade está com inscrições abertas para cursos de formação em cursos de formação de prefeito comunitário, síndico profissional, direito condominial, engenharia condominial, agente de portaria e primeiros socorros.


Andréa Serra, uma ex-aluna do curso de formação para síndicos, aprovou a iniciativa da escola e hoje usa o que aprendeu na gestão de seu condomínio. “Com as palestras de direito e dos engenheiros pude saber mais sobre legislação e engenharia, o que eu estou aplicando em meu condomínio”. O administrador de Taguatinga, Ricardo Lustosa Jacobina afirma que a iniciativa é um programa de sucesso da administração de Taguatinga. “A Escola da Comunidade é uma conquista de toda a p…

CONCURSO PARA CÃMARA LEGISLATIVA TERÁ 100 MIL CANDIDATOS

O tão esperado edital de abertura do concurso da Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF) deverá ser lançado até o mês de agosto. A informação foi divulgada pela própria Casa, que assinou o contrato com a Fundação Carlos Chagas (FCC) na última sexta-feira (7/7). Mas a espera pela distribuição das vagas nos cargos não é mais necessária. Veja abaixo para quais áreas serão destinadas as 86 oportunidades: divididas entre os cargos de técnico, consultor técnico, consultor e procurador.
O presidente da Câmara, deputado Joe Valle (PDT), espera que o concurso selecione os candidatos mais interessados em fazer carreira na casa, que tem atualmente o salário inicial de nível médio em R$ 10.143,07 e de nível superior em R$ 15.123,30. Segundo ele, a expectativa é de mais de 100 mil candidatos inscritos. Leia também:Mais de 15 mil vagas serão abertas no país até dezembro De acordo com a Casa, não haverá gastos para a realização do certame, pois a seleção será totalmente custeada pelos valores …

O SERVIDOR QUE ESPERA AUMENTO EM OUTUBRO "PODE TIRAR O CAVALINHO DACHUVA"

Escrevo este post com a profunda vontade de estar errado, todavia não sou tão otimista assim. A categoria funcional vinculada ao Governo Do Distrito Federal deverá ter uma visão de águia e planejar qualitativamente suas finanças nos próximos meses. Todos nós temos uma tendência em contar com o "ovo dentro da galinha" e realizar despesas ou pagar dívidas com créditos a receber.
O GDF tem se lastreado e se calçado por uma única linha de defesa e planejamento de governança, a Lei de Responsabilidade Fiscal. Não há outra ação propositiva concreta de desenvolvimento econômico para a capital. A "muleta" utilizada só é esquecida quando o governo anterior, o de Agnelo, se sobre põe ao atual na ingerência econômica social.
Vivemos uma crise, nisso não há novidade. Vivemos uma caos não há novidade alguma nisso. A novidade é na desculpa utilizada para justificar ações sem prumo. Falar que arrecadação não tem suprido as expectativas já não justifica o intenso e sistemático discu…