Pular para o conteúdo principal

UM OLHO NO IMPEACHEMENT E O OUTRO NA ECONOMIA AS PRINCIPAIS NOTÍCIAS NO DIA EM QUE DILMA FOI CASSADA E TEMER É EFETIVADO COMO PRESIDENTE DA REPÚBLICA

Pela 9ª vez seguida, Copom mantém juros básicos em 14,25% ao ano 

31/08 - Alexandro Martello / G1, em BrasíliaPela nona vez seguida, o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central decidiu manter os juros básicos da economia em 14,25% ao ano - o maior patamar em dez anos. A decisão (leia a íntegra mais abaixo), que confirmou a expectativa da maior parte dos analistas do mercado financeiro, foi tomada em reunião em Brasília.Esse foi o primeiro encontro do Copom do governo do presidente Michel Temer, que não é mais interino, e o segundo comandado ...

Bovespa fecha em queda após aprovação do impeachment 

31/08 - G1, em São PauloA Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) fechou em queda nesta quarta-feira (31), pressionado pelo cenário externo negativo, após a votação final do impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff. O Senado aprovou a cassação do mandato por 61 votos a 20, confirmando as expectativas dos mercados financeiros.O Ibovespa fechou o último pregão do mês de agosto em queda de 1,15%, a 57.901 pontos. Veja a cotação.No mês, a bolsa acumulou alta de 1,03%. 

Dólar termina agosto em queda após aprovação do impeachment 

31/08 - G1, em São PauloO dólar fechou em queda nesta quarta-feira (31), após alternar entre altas e baixas, encerrando o mês de agosto com perda frente ao real. A moeda firmou a queda após o Senado aprovar por 61 votos favoráveis e 20 contrários, o impeachment de Dilma Rousseff.A moeda norte-americana perdeu 0,33%, vendida da R$ 3,2293.  Veja a cotação do dólar hoje.Na semana, houve variação negativa de 0,07%. No mês de agosto, o dólar acumulou queda de 0,41%. 

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

TAGUATINGA ESTÁ COM 12OO VAGAS EM SEIS CURSOS

Com o objetivo de apoiar o trabalho de lideranças comunitárias, a Administração Regional de Taguatinga, tem o programa Escola da Comunidade, um espaço voltado para a promoção de cursos e palestras para zeladores, porteiros, síndicos, prefeitos comunitários e membros de associações de moradores. A Escola da Comunidade está com inscrições abertas para cursos de formação em cursos de formação de prefeito comunitário, síndico profissional, direito condominial, engenharia condominial, agente de portaria e primeiros socorros.


Andréa Serra, uma ex-aluna do curso de formação para síndicos, aprovou a iniciativa da escola e hoje usa o que aprendeu na gestão de seu condomínio. “Com as palestras de direito e dos engenheiros pude saber mais sobre legislação e engenharia, o que eu estou aplicando em meu condomínio”. O administrador de Taguatinga, Ricardo Lustosa Jacobina afirma que a iniciativa é um programa de sucesso da administração de Taguatinga. “A Escola da Comunidade é uma conquista de toda a p…

O SERVIDOR QUE ESPERA AUMENTO EM OUTUBRO "PODE TIRAR O CAVALINHO DACHUVA"

Escrevo este post com a profunda vontade de estar errado, todavia não sou tão otimista assim. A categoria funcional vinculada ao Governo Do Distrito Federal deverá ter uma visão de águia e planejar qualitativamente suas finanças nos próximos meses. Todos nós temos uma tendência em contar com o "ovo dentro da galinha" e realizar despesas ou pagar dívidas com créditos a receber.
O GDF tem se lastreado e se calçado por uma única linha de defesa e planejamento de governança, a Lei de Responsabilidade Fiscal. Não há outra ação propositiva concreta de desenvolvimento econômico para a capital. A "muleta" utilizada só é esquecida quando o governo anterior, o de Agnelo, se sobre põe ao atual na ingerência econômica social.
Vivemos uma crise, nisso não há novidade. Vivemos uma caos não há novidade alguma nisso. A novidade é na desculpa utilizada para justificar ações sem prumo. Falar que arrecadação não tem suprido as expectativas já não justifica o intenso e sistemático discu…

ECONOMIA E A LEI DA ESCASSEZ

Em Economia tudo se resume a uma restrição quase que física - a lei da escassez, isto é, produzir o máximo de bens e serviços a partir dos recursos escassos disponíveis a cada sociedade. Se uma quantidade infinita de cada bem pudesse ser produzida, se os desejos humanos pudessem ser completamente satisfeitos, não importaria que uma quantidade excessiva de certo bem fosse de fato produzida. Nem importaria que os recursos disponíveis: trabalho, terra e capital (este deve ser entendido como máquinas, edifícios, matérias-primas etc.) fossem combinados irracionalmente para produção de bens. Não havendo o problema da escassez, não faz sentido se falar em desperdício ou em uso irracional dos recursos e na realidade só existiriam os "bens livres". Bastaria fazer um pedido e, pronto, um carro apareceria de graça.
Na realidade, ocorre que a escassez dos recursos disponíveis acaba por gerar a escassez dos bens - chamados "bens econômicos". Por exemplo: as jazidas de minério de…