Pular para o conteúdo principal

PREÇO DO M² EM BRASÍLIA ATINGE MENOR VALOR DOS ÚLTIMOS 12 MESES

Aguas Claras
Líder no ranking nacional, o metro quadrado para venda em Brasília atingiu, em fevereiro de 2017, o menor valor dos últimos 12 meses. O custo médio no período analisado foi de R$ 8.167, segundo dados da VivaReal, uma plataforma digital que conecta imobiliárias, incorporadoras, corretores e consumidores de todo o país.
Em comparação com janeiro de 2017, houve redução de 2,78% no valor (R$ 8.400). Sobre o mesmo período de 2016, a queda foi de 2% (R$ 8.333). O estudo é feito mensalmente e contempla uma amostra de 30 cidades em diferentes regiões do país, considerando mais de 2 milhões de imóveis usados disponíveis para compra ou aluguel.
No Brasil, o preço médio do metro quadrado para venda custou R$ 4.800 em fevereiro de 2017, ou 60% do valor aplicado no Distrito Federal. O ranking das cidades mais caras ainda é liderado por Brasília (R$ 8.167). A capital federal é seguida por Rio de Janeiro (R$ 7.404), São Paulo (R$ 6.707), Recife (R$ 6.136) e Vitória (R$ 5.765).
O economista Roberto Piscitelli acha que não é uma boa hora para comprar imóveis. “Não houve uma reação do mercado imobiliário à crise econômica. O valor do metro quadrado ainda está elevado e acredito que pode cair mais”, pondera.
O professor de economia da Universidade de Brasília (UnB) Roberto Ellery, por sua vez, diz que a economia vem dando sinais de recuperação e a tendência é que os imóveis fiquem mais caros a partir dos próximos meses. Bom para quem vender e ruim para aqueles que querem adquirir a sua casa própria.
“A queda dos juros deve jogar o preço dos imóveis para cima. Por isso, se a pessoa for comprar à vista, agora é uma boa hora. Mas se for financiar parte do valor, é bom esperar. Os juros devem cair ainda mais nos próximos meses”, explica o especialista.
Segundo dados do Sindicato da Habitação do Distrito Federal (Secovi-DF), referentes a fevereiro deste ano, existem mais de 32 mil imóveis residenciais disponíveis para venda na capital do país. Os valores vão de R$ 160 mil a R$ 2,6 milhões, dependendo do tamanho da casa ou do apartamento.
A movimentação imobiliária continua sendo mais intensa nas áreas nobres de Brasília. Pelo menos é o que mostra o levantamento da VivaReal. As regiões mais procuradas pelos consumidores são as asas Sul e Norte, Sudoeste, Lago Sul e Noroeste, onde o metro quadrado é o mais caro de todo o DF: nada menos que R$ 9.632.
Preço/ m²





Aluguel
No que se refere a aluguel, o preço médio do metro quadrado em Brasília também caiu. Em fevereiro deste ano, atingiu média de R$ 32. Segundo o levantamento da VivaReal, houve leve redução de 0,44% em relação a janeiro de 2017, quando o custo era de R$ 32,14. Comparado ao mesmo período de 2016, os preços caíram 2,82%. Na época, o valor era de R$ 32,93.

No Brasil, a média do metro quadrado para aluguel é de R$ 23,08. São Paulo lidera a lista com valor de R$ 36, seguida por Rio de Janeiro (R$ 32,33/m²); Brasília (R$ 32/m²); Santos (R$ 29,17/m²); e Recife (R$ 25/m²).
Vai comprar um imóvel? Confira algumas dicas
  • Se a compra for de imóvel usado, verifique se a matrícula está no nome de quem está vendendo o apartamento;
  • Confira a certidão atualizada do IPTU, para evitar passivos de débitos;
  • Exija certidão negativa de débitos condominiais, para verificar se não existem pendências no condomínio;
  • Peça ainda informações às concessionárias de serviços básicos para avaliar se não existem débitos nas contas de água, esgoto, energia e gás;
  • Cheque também as condições do imóvel. Converse com vizinhos para saber como é viver naquele ambiente;
  • Se for financiar, procure poupar até 20% do valor do imóvel para dar de entrada;
  • Não comprometa mais que 30% de sua renda com a prestação da casa própria;
  • Lembre-se: quanto mais poupar, menos vai pagar juros.

Fonte: Metrópoles 
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

TAGUATINGA ESTÁ COM 12OO VAGAS EM SEIS CURSOS

Com o objetivo de apoiar o trabalho de lideranças comunitárias, a Administração Regional de Taguatinga, tem o programa Escola da Comunidade, um espaço voltado para a promoção de cursos e palestras para zeladores, porteiros, síndicos, prefeitos comunitários e membros de associações de moradores. A Escola da Comunidade está com inscrições abertas para cursos de formação em cursos de formação de prefeito comunitário, síndico profissional, direito condominial, engenharia condominial, agente de portaria e primeiros socorros.


Andréa Serra, uma ex-aluna do curso de formação para síndicos, aprovou a iniciativa da escola e hoje usa o que aprendeu na gestão de seu condomínio. “Com as palestras de direito e dos engenheiros pude saber mais sobre legislação e engenharia, o que eu estou aplicando em meu condomínio”. O administrador de Taguatinga, Ricardo Lustosa Jacobina afirma que a iniciativa é um programa de sucesso da administração de Taguatinga. “A Escola da Comunidade é uma conquista de toda a p…

CONCURSO PARA CÃMARA LEGISLATIVA TERÁ 100 MIL CANDIDATOS

O tão esperado edital de abertura do concurso da Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF) deverá ser lançado até o mês de agosto. A informação foi divulgada pela própria Casa, que assinou o contrato com a Fundação Carlos Chagas (FCC) na última sexta-feira (7/7). Mas a espera pela distribuição das vagas nos cargos não é mais necessária. Veja abaixo para quais áreas serão destinadas as 86 oportunidades: divididas entre os cargos de técnico, consultor técnico, consultor e procurador.
O presidente da Câmara, deputado Joe Valle (PDT), espera que o concurso selecione os candidatos mais interessados em fazer carreira na casa, que tem atualmente o salário inicial de nível médio em R$ 10.143,07 e de nível superior em R$ 15.123,30. Segundo ele, a expectativa é de mais de 100 mil candidatos inscritos. Leia também:Mais de 15 mil vagas serão abertas no país até dezembro De acordo com a Casa, não haverá gastos para a realização do certame, pois a seleção será totalmente custeada pelos valores …

O SERVIDOR QUE ESPERA AUMENTO EM OUTUBRO "PODE TIRAR O CAVALINHO DACHUVA"

Escrevo este post com a profunda vontade de estar errado, todavia não sou tão otimista assim. A categoria funcional vinculada ao Governo Do Distrito Federal deverá ter uma visão de águia e planejar qualitativamente suas finanças nos próximos meses. Todos nós temos uma tendência em contar com o "ovo dentro da galinha" e realizar despesas ou pagar dívidas com créditos a receber.
O GDF tem se lastreado e se calçado por uma única linha de defesa e planejamento de governança, a Lei de Responsabilidade Fiscal. Não há outra ação propositiva concreta de desenvolvimento econômico para a capital. A "muleta" utilizada só é esquecida quando o governo anterior, o de Agnelo, se sobre põe ao atual na ingerência econômica social.
Vivemos uma crise, nisso não há novidade. Vivemos uma caos não há novidade alguma nisso. A novidade é na desculpa utilizada para justificar ações sem prumo. Falar que arrecadação não tem suprido as expectativas já não justifica o intenso e sistemático discu…